2008/04/18

Terá terminado a noite de nevoeiro?

Achei graça o comentário do Xana sobre a noite de nevoeiro que terá terminado, aludindo ao facto do LF Menezes ter batido a porta e regressado a Gaia.

Não tenho a certeza que tenha terminado. Desde logo, não fiquei totalmente convencido que ele não esteja a aguardar por uma pretensa vaga de fundo, dos "milhares de portugueses que o incentivam na rua", para regressar e terminar a vassaourada nos adversários autores do "mais implacável ataque de destruição pessoal" da história (universal, diria eu!) dos lideres partidários (coitado do fundador Sá Carneiro, que à beira deste LF Menezes foi mil vezes mais vilipendiado, coitado do próprio Sócrates que entre alusões a homossexualidade, desvios de dinheiro, aproveitamento de cargos públicos para beneficio próprio e até a questão de autoria de projectos foram passadas a pente fino...) e que, diria eu, será pelo menos o mais auto-vitimizado líder da história do PSD, batendo mesmo o líder parlamentar Santana Lopes que era muito bom neste tipo de discurso tambem.

E mesmo que LF Menezes não volte, não está garantido que as bases nas eleições directas optem pela credibilidade. Pode muito bem acontecer substituir um LF Menezes por um Santana Lopes, que continua por aí! E por isso é ainda muito cedo para festejar. Neste momento, o ideal é trabalhar para que, de facto, o nevoeiro não regresse.

Mas não serei a fazer esse trabalho. Por muito que custe ao Xana, e a outros amigos que tenho ainda no PSD, o meu tempo lá como militante terminou porque terminou a minha crença nos partidos políticos e na forma como eles (partidos) fazem política. Acredito nas pessoas, em algumas, e por isso, para determinados projectos políticos onde determinadas pessoas estejam envolvidas (e onde outras determinadas pessoas não estejam envolvidas) poderei estar disponivel para me envolver neles, enquanto independente. Nos partidos, enquanto forem como são e enquanto visarem estratégias pessoais básicas e não pensarem global e nos superiores interesses nacionais, regionais e locais em vez de pensarem nos cargos dos seus dirigentes, não me envolvo mais.

Espero, acredito, que o PSD saiba fazer deste momento a pedra angular que suportará toda uma nova edificação política baseada na credibilidade das ideias e pessoas e não no populismos das ideias que agradam aos média. 2009 será já uma batalha perdida, mas as eleições locais poderão ser a base de partida para uma nova mudança. O PSD sempre chegou ao poder via eleições autárquicas. Não pense, por isso, o PSD que irá derrotar Sócrates sem ganhar primeiro as autarquias. É a minha opinião.

Quanto ao resto, partilho, como é evidente, da alegria do Xana em ver o LF Menezes bater com a porta e sair. Prefiro-o mil vezes fora, juntamente com a "entourage" que o acompanha, longe do poder. Mas ainda não caiu nem o presidente da Jota, nem o Conselho Nacional mudou, nem o presidente do Grupo Parlamentar alterou-se. Ainda há muito a mudar para o PSD ter melhores dias...
Enviar um comentário