2011/09/30

Nova aventura académica!

Ainda não sei bem como, mas há uns tempos atrás dei por mim a olhar para a página do Mestrado de Gestão da Escola de Economia e Gestão da Universidade do Minho e a pensar: "acho que precisava de fazer algo assim"...

Porquê? Porque ao ler isto...

"Destina-se a licenciados de qualquer área científica que no seu desenvolvimento de carreira pretendam adquirir formação complementar e desenvolver competências nas áreas da Gestão (Finanças, Estratégia, Contabilidade, Recursos Humanos, Marketing, Gestão de Operações). Esta formação proporcionará aos mestrandos uma visão global da organização e/ou da área de negócio onde eles exercem atividades, e auxiliá-los-á no desempenho de funções diretivas ou de gestão e coordenação. Com a realização de um mestrado em Gestão de natureza generalista, pretende-se dotar os alunos de competências para responderem da melhor forma aos desafios colocados pelas profundas transformações nos ambientes profissional e empresarial, ao nível nacional e internacional."

...entendi que depois dos ultimos trabalhos que tive, esta formação avançada poderia ser o complemento ideal para aprofundar conhecimentos que adquiri de forma empirica e superficial por obrigação das funções que desempenhei.

Como tal, se o pensei, executei. Isto é, candidatei-me. E fui seleccionado!

Agora, que já me consciencializei da "coisa", deparo-me com um programa de mestrado exigente e com algumas disciplinas capazes de fazer arrepiar de pele de galinha o mais optimista dos mortais...

Do Plano de Estudos fazem parte coisas como "Métodos Quantitativos Aplicados à Gestão" (!) ou "Princípios de Finanças" (!!) ou "Complementos de Gestão da Produção e Operações" (!!!) ou ainda "Contabilidade para Gestores" (!!!!) e eu juro que se sobrevivo a isto não me meto noutra! Ou então, meto, porque há 8 anos atrás, quando acabei a pós-graduação (especialização) do mestrado de Engenharia Civil em Processos e Gestão de Obras, também disse que nunca mais e agora é o que sabemos!

Enfim, menos mal que, por coincidência, conheço um dos colegas, é uma vantagem.

Vai ser um ano complicado. E espero que compensador do esforço...

2011/09/29

1º Colóquio/Debate "O Lado B: Cidade, Espaço Público e Participação Cívica"

É já hoje o primeiro dos debates de um ciclo que se estenderá até ao final do ano onde vão ser abordados vários temas em redor da CEC Guimarães 2012, organizado pela Conferência Permanente de Cidadãos e subordinado ao tema "Cidade, Espaço Público e Participação Cívica".

Neste painel pretende-se abordar aquilo que a participação cívica pode trazer ao espaço público, à cidade, as coisas positivas. E ver em que ponto poderemos enquadrar a CEC2012 neste espaço de cidadania, onde está a falhar e onde está a acertar, bem como o que se pode fazer para melhorar.

Palestrantes:
Wladimir Brito
Prof. Associado, com Agregação, da Escola de Direito da Universidade do Minho
Advogado 

Delfim Rodrigues
Administrador hospitalar
ex-Director Geral da Saúde
Deputado Municipal na Assembleia Municipal de Guimarães

José Cádima Ribeiro
Professor Catedrático da Universidade do Minho
Director do Departamento de Economia da Escola de Economia e Gestão (EEG) da Universidade do Minho

Será, com toda a certeza, um debate muito interessante e que valerá a pena assistir.
Pelas 21h30, no espaço do CanalGuimaraes.com, na Rua Gil Vicente, em Guimarães (por cima do antigo supermercado Pingo Doce) junto ao C.C. Palmeiras.

2011/09/28

100 dias de Governo a Passos

Foram, com toda a certeza, os primeiros 100 dias de Governo mais difíceis desde os idos de 70, tenho a certeza.

Porque não foi só um país em depressão económica e financeira que encontraram. Foi também um aparelho de Estado à deriva, sem rei nem roque, com fugas para a frente, atrasos nos pagamentos e à beira da bancarrota e do colapso financeiro.

Foram 100 dias onde, para além de "domar" o monstro, foi necessário cumprir o apertado e exigente calendário da Troyka que, se por um lado auxilia nesse quebrar de rins ao défice crónico com que vivíamos há vários anos, por outro implica muitas medidas que neste momento não deveriam ser implementadas. Mas temos de perceber que não temos capacidade de gerar riqueza para compensar toda a gratuitidade que pretendemos implementar e que nos trouxe até este ponto.

Destaco, particularmente, duas medidas e meia deste Governo neste 100 dias iniciais que, se mais não for, já poderão valer a pena - sem contar com o facto de Sócrates ter sido varrido do mapa eleitoral por 70% dos portugueses que votaram! - e que são as seguintes:

  • o fim dos Governos Civis, medida há muito necessária e possível de implementar;
  • o Documento Verde para a Reforma Administrativa Local apresentado esta semana e que poderá permitir, finalmente, modernizar e mudar o paradigma das instituições da Administração Local;
  • a nova Lei da Reabilitação Urbana que foi hoje apresentada e que poderá ser o "click" necessário para iniciar o processo de reabilitação em centenas de milhares de edifícios do país inteiro e relançar o mercado da construção e do arrendamento se, de facto, a regulamentação da lei for amiga de quem investe para lá da burocracia que aparenta desde já poupar.
Até ao final do ano serão outros quase 100 dias que serão tão importantes como estes primeiros. Porque ainda há, ao que sei, muito trabalho de sapa a organizar e montar a máquina que estava comatosa, dormente e repleta de gente acomodada e apadrinhada por 6 anos de um Governo inenarrável.

Calmamente e com Passos seguros, o trabalho está a ser feito e dará os seus frutos, a médio/longo prazo.

2011/09/26

Reforma da Administração Local

O Governo apresentou hoje a muito esperada Reforma da Administrativa Local que está prometida no acordo da "troyka" e que tanto necessitamos.

Não tendo assistido ao discurso e apenas tendo lido algumas notícias de jornais, parece-me que ela corresponde ao que se esperava - será um instrumento que vai, por um lado, arrumar a casa nas autarquias, nomeadamente na área das empresas locais, e por outro lado vem modernizar a eleição, o governo e o financiamento das autarquias - sim, 37 anos depois de Abril de 74 era necessário modernizar muita coisa, sob pena de uma das maiores conquistas caírem por terra.

Quem me conhece e lê com alguma regularidade sabe que sou totalmente a favor de rever a forma de eleição das autarquias. E esta Lei vem propor a forma que eu defendo como mais válida - elege-se a Assembleia Municipal, sendo o candidato mais votado nomeado Presidente de Câmara, e escolherá os seus vereadores a partir da lista de candidatos à AM. Não haverá vereadores da oposição, como não há ministros da oposição. A AM passará a fiscalizar as actividades do executivo camarário, tal e qual o Parlamento faz ao Governo, sendo assim dignificada no seu papel. Não sei ainda se os Presidentes de Junta deixam a AM - mas deveriam deixar, não faz sentido a sua presença lá, pelo menos com direito de voto, visto que isso condiciona a sua atitude e papel de representante do Povo aos grupos parlamentares municipais.

Por outro lado, esta reforma vai mexer com freguesias e até concelhos, procurando que se fundam e criem novas entidades territoriais com mais massa critica, fundamental para a sua gestão eficaz e financeiramente viável. E pretende também deitar abaixo a velha lei do financiamento local e dos seus escombros encontrar novas formas de financiamento local, dando mais ênfase às CIM e menos ao poder central.

Muito sinceramente, em menos de 100 dias, este Governo poderá ter nesta reforma a sua pedra de toque! Se conseguir regulamentar de boa forma esta Lei, poderá já ter valido a pena a sua eleição!

ACTUALIZAÇÃO - Entretanto, já está disponível o Documento Verde da Reforma da Administração Local e respectivos anexos. Ver na página do Governo:


  • Documento Verde da Reforma da Administração Local (PDF, 40 páginas, 1419 KB)
  • Documento Verde da Reforma da Administração Local - Anexos (PDF, 88 páginas, 2555 KB)
  • Resolução do Conselho de Ministros sobre a Reforma da Administração Local

  • Existe ainda um link para os contributos que os cidadãos queiram dar para a discussão pública que vai agora decorrer com base neste documento.

    2011/09/23

    Noite grande

    Hoje é dia de noite grande no Dragão. O clássico contra os rivais do sul levará ao rubro as emoções, ainda para mais com o ainda presente resultado da passada época, há menos de um ano atrás, em que o FC Porto cilindrou com 5 golos sem resposta e embalou assim para o título.

    Não espero este ano, como não esperava o ano passado, que o resultado seja deste calibre.

    Mas tenho ideia que é possível vencer, talvez 2-0, talvez 3-1.

    Para recordar, fica um vídeo com uma das melhores canções que se ouve pelos estádios... Uma recordação e que irá ser muito cantada mais logo. Afinemos então as gargantas, enchamos o peito de ar e vamos a isso:

    2011/09/17

    Feira Afonsina em Guimarães

    Este fim de semana, o centro histórico de Guimarães recebe novamente uma feira medieval, desta vez centrada na temática de D. Afonso Henriques.

    Recuaremos assim até ao século XI, quando no seu final o processo de reconquista da Península Ibérica aos mouros estava em curso e havia vários nobres europeus que aqui chegavam para auxiliar nas batalhas.

    D. Henrique, um conde borgonhês, recebeu a mão em casamento de uma das filhas de Afonso VI e o Condado Portucalense como prémio dos seus préstimos. Este era ainda o mais exposto às refregas com os mouros que não se davam ainda por vencidos, com o seu califado ainda presente na zona sul da Península Ibérica.

    Durante alguns anos governou assim este condado até falecer, em 1112, razão que levou a que a sua viúva, D. Teresa, governasse o condado até à maioridade do seu filho primogénito, Afonso Henriques, filho de Henrique. Depois, todos sabemos o resto da história...

    A Feira Afonsina integra assim vários quadros históricos, como Quelho das Desgraças, o Posto de Vigia Militar, o Jardim dos Infantes, a Doçaria Conventual, a Zona dos Artifices e a Zona das Iguarias, bem como animação diversa e participação de vários espaços como o Museu Alberto Sampaio nestes 3 dias de animação e recriação medieval.

    Uma boa razão para visitar Guimarães.

    2011/09/15

    Finalmente!

    Segundo o i de hoje, Lisboa e Luanda assinam acordo para vistos de trabalho em Angola, conseguindo o ministro Paulo Portas em pouco mais de 80 dias aquilo que José Sócrates com a sua política de corridas na marginal de Luanda não conseguiu em 6 anos.

    Ou seja, desde 2007 que há uma enorme pressão para melhorar o protocolo bi-lateral de concessão de vistos de permanência e trabalho entre Portugal e Angola. Mas durante esse período, apesar de visitas a Angola de Sócrates e muitos dos membros do seu Governo, não se conseguiu progresso nenhum - diria mais, conseguiu-se alguns retrocessos... E agora Paulo Portas anuncia que os vistos de trabalho passarão a ser de 3 anos. Só eu, e quem lá está ou esteve, sei como isso é importante.

    Está, por isso, de parabéns o Governo que resolver o problema de mais de 100 mil portugueses que por lá ainda andam.

    Menos positivo é o facto de ainda nada ter sido dito sobre os recentes e preocupantes acontecimentos em Angola. Há progressos do Presidente ao aceitar as manifestações, mas o condicionamento às mesmas e a forte repressão policial não são ainda a forma como gostaríamos, todos, de ver o problema a ser abordado pelas autoridades. Espero que o Presidente de Angola perceba que a repressão apenas serve para colocar mais pessoas com vontade de ir para a rua, no lado oposto. E isto é preocupante porque estando lá mais de 100 mil portugueses, se a situação se deteriorar pode obrigar ao abandono massivo do país e regresso a Portugal -o que causaria grandes transtornos também em Portugal, como é evidente. Aguardemos serenamente e esperemos que José Eduardo dos Santos tenho o bom senso de entender os desígnios das modernas democracias e perceber que tudo tem o seu tempo - e este é um tempo de mudanças, como se viu na "primavera árabe"....

    Carrossel


    Ontem fui ver o jogo da Liga dos Campeões do FC Porto, como fui na última sexta ver o jogo contra o Setúbal. E a ideia com que fiquei é que se o ano passado o FC Porto já fazia da pressão alta e da posse de bola um requerimento no seu futebol, este ano o treinador pretende elevar esses requerimentos a um novo e mais elevado patamar. Ao abdicar do trinco em favor de um médio centro, inverte o triangulo do meio campo mas sobe o posicionamento deles no terreno. E como a defesa acompanha essa subida, toda a equipa fica mais compacta e mais à frente no terreno, podendo aumentar a pressão alta sem desgaste físico.

    É evidente que isso só funciona contra algumas equipas, nomeadamente as que defendem mais e abdicam de peças ofensivas ou que se vêm em desvantagem numérica em campo. E funciona porque há jogadores no plantel capazes de assumir várias posições sem baixar os níveis de rendimento. Quando aliado a isto a equipa possui jogadores de elevado recorte técnico, então é possível praticar algo que se chamava de "carrossel", modernamente também conhecido como Tiki-Taka celebrizado pelo Barcelona assente nos pés de Xavi e Iniesta.

    Longe de mim pensar ou querer dizer que o FC Porto já faz isso como o Barcelona. Porque o Barcelona é um caso à parte, a sua forma de jogar não tem comparação - nem sequer com o celebre Barcelona dos anos 90 de Figo, Ronaldo, Stoychkov, Romário, Guardiola e tantos outros. Mas o FC Porto é, claramente, uma das poucas equipas da Europa que neste momento consegue fazer isto.

    Aliás, o CARROSSEL DO DRAGÃO já não é uma novidade absoluta. Na primeira época de Mourinho, 2002/03, o meio campo constituido pelo Costinha, Deco, Maniche, Aleinitchev e ainda mais no ano seguinte com presenças do Pedro Mendes e do Carlos Alberto, o FC Porto muitas vezes usou esse futebol de passes curtos e rápidos com jogadores a trocarem de posições constantemente, em aproximação à área adversária, até encontrarem um espaço para furar em direcção à baliza, com os resultados que conhecemos.

    E se quisermos recuar um pouco mais ainda, nos anos 80, o meio campo constituido por André, Sousa, Frasco, Quim, Jaime Pacheco, Eloi, Rodolfo também praticava este futebol enliante e desgastante para o adversário, com resultados muito positivos.

    Por isso, é com imenso prazer que vejo o FC Porto fazer da posse de bola e do carrossel uma pratica nos seus jogos. Porque os resultados começam a ser evidentes: nos últimos dois jogos aqui citados, marcou 5 golos e enviou 5 bolas ao ferro (curiosamente, todas elas na mesma baliza norte do Estádio do Dragão) e criou inúmeras oportunidades de golo que, com o tempo, irão ser concretizadas, assim a equipa ganhe mais rotinas e os jogadores mais confiança.

    E eu estou muito confiante para esta época. Sei bem que o sonho é (quase) impossível de realizar.
    Mas os impossíveis constroem-se jogo a jogo, e o primeiro foi ontem e ganhamos...

    2011/09/11

    11 de Setembro de 2001, 10 anos depois


    Imagem TVcanal7

    Já se passaram 10 anos sobre esta trágica data.

    Trágica pelo elevado número de vitimas civis dos ataques às torres, mas também ao Pentágono e ainda do avião que, devido à galhardia dos seus passageiros, acabou por se despenhar no campo em vez de atingir, também ele, um qualquer alvo emblemático.

    Trágica ainda por marcar uma nova era na vida do ocidente, condicionada pelo grande terrorismo internacional, feito a partir de dentro dos próprios países ocidentais por infiltrados que, usando meios civis, visam apenas atingir alvos civis e causar o maior número de vitimas possíveis, condicionando desde então a vitima de milhões de pessoas quanto à sua liberdade de circulação, fundamentalmente.

    Depois dessa data, outros ataques aconteceram, nomeadamente em Madrid e Londres. Aparentemente apenas um ataque foi parado antes de acontecer, e terá sido mesmo no Porto, na cerimónia de abertura do Euro2004.

    Depois dessa data, qualquer grande acontecimento como cimeiras, festivais ou eventos desportivos são alvo de uma paranóia colectiva de receio de um ataque. Ainda me lembro no Rock in Rio 2004 um avião que atravessou o recinto num vôo um pouco mais baixo que o habitual e que silenciou a multidão, atónita a olhar para o avião e a relembrar-se dos acontecimentos de 2001...

    Neste dia, assim, tão especial, relembrar as imagens do terror e a vontade de alguns Homens que em aviões e nas torres lutaram pelas suas vidas e pelas vidas de milhares de outros, sem pedir nada em troca, é a melhor forma de saber que o que nos separa dos bárbaros é este principio de civilização que contemos em nós - não sendo perfeita, a sociedade moderna ocidental é o melhor que se pode ter, e apesar de todas as ameaças, continuamos a viver e a fazer aquilo que fazíamos antes do 11 de Setembro de 2001, mesmo que com mais precauções e condicionantes!

    2011/09/10

    Liga UEFA Fantasy Football

    Há já alguns anos que participo no site da UEFA na Fantasy Football UEFA League.

    É grátis e pode dar prémios. Pode, porque são centenas de milhares a participar de todo o mundo, pelo que as probabilidades disso acontecer são semelhantes às de ganhar o Euromilhões.

    Em todo o caso, é engraçado sermos treinadores/gestores virtuais. Com um budget de 100 milhões de euros, temos de contratar 2 guarda-redes, 5 defesas, 4 médios e 3 atacantes, no máximo 2 por clube, e formar um plantel que irá iniciar a nossa Liga dos Campeões, isto é, que será pontuado de acordo com o que os reais jogadores fizerem em cada jogo da liga dos campeões. Durante a competição, podemos ir comprando e vendendo jogadores, de acordo com o evoluir da mesma.

    Este ano, a única novidade é que criei uma liga privada com o nome deste blogue: Liga Linha de Rumo. Que está aberta a quem queira se juntar a ela, o código de liga é : 77917-13801.



    Este é o meu plantel inicial. Que tentei que fosse constituído o mais possível por jogadores do FC Porto, ou que o tenham representado, mas infelizmente as regras do jogo impedem isso neste momento (por exemplo, só posso ter 5 defesas e havia ainda vários espalhados pela Europa, como Ricardo Costa ou Paulo Ferreira, que não puderam entrar, sendo que este último também já estava tapado por 2 jogadores do Chelsea, Hilário e Bosingwa) e Raul Meireles não aparece na lista. Mais jogadores há, mas estão na Liga Europa, pelo que tive de comprar 4 que nada têm a ver com o FC Porto. Em todo o caso, este plantel vale os 100 milhões certinhos. Veremos o que fazem os meus valorosos jogadores!

    A partir do iPhone



    Finalmente a Google fez o aplicativo para o Blogger a partir do iPhone.
    Apesar de sentir-me algo desorientado nos menus, penso que a aplicação responde às necessidades de ter a jeito o nosso blogue.

    Nota - Este post foi feito do meu iPhone

    2011/09/07

    Leituras [62] - Lustrum, de Robert Harris



    Lustrum, de Robert Harris, é o 2º livro de uma trilogia que este escritor do meu agrado está a fazer sobre o Império Romano (o primeiro livro foi "Imperium" e o último ainda não foi publicado, está em preparação, talvez em 2012 venha à estampa) e extremamente interessante pela forma como vivemos, pelo narrador Tirão (secretário pessoal de Cícero) o seu apogeu e declinio no império romano ao tempo de Catilina e do triunvirato de César, Pompeu e Crasso.

    A política romana (seria assim tão diferente da actual?), as pequenas e as grandes intrigas, as alianças pontuais e as traições entre os grandes personagens da maior civilização da época são o constante de cada página deste romance ficticio, mas baseado em factos históricos, tão ao meu agrado e que este autor (4º livro dele que leio, depois de Pátria, Imperium e Pompei) e Steven Saylor tão bem retratam.

    Agrada-me porque não só aprendo história quando leio, como ainda tiro lições para a vida, actual e futura, destas histórias...

    Sinopse:

    "Cego pela Ambição, Seduzido pelo Poder, Destruído por Roma
    Lustrum é o segundo volume desta soberba trilogia sobre a vida de Cícero, o político e orador brilhante que viveu durante um dos períodos mais conturbados da história de Roma. O narrador é Tirão, secretário pessoal de Cícero ao longo de quase quatro décadas, e é através do seu olhar astuto que entramos nos meandros políticos da Roma Antiga e na labiríntica teia de intrigas que, sob a capa da traição, serve ambições cruéis. Com uma fundamentação histórica irrepreensível e um virtuosismo literário exuberante, Lustrum evoca a Roma de Cícero com uma vivacidade raramente conseguida.
    "

    2011/09/05

    Freddy Mercury, 65 anos

    video

    Se fosse vivo, faria hoje 65 anos. Nascido Farrokh Bulsara na antiga Zanzimbar, hoje na Tanzania, antiga colónia inglesa, foi como Freddy Mercury que ficou conhecido para o mundo inteiro enquanto líder da banda Queen e autor de diversos hinos como "We Are The Champions", "Bohemian Rhapsody" ou este "Somebody To Love" entre tantas, tantas outras músicas que nos ficam na memória e no ouvido. Eu gostava muito da música dele e de o ver em palco - nunca o vi ao vivo, evidentemente, mas os concertos dele na TV são memoráveis! A minha homenagem fica aqui, em conjunto com o Doodle da Google de hoje, muito bom!

    2011/09/04

    Linguagem de caserna

    O futebol português voltou nos últimos dias a usar uma certa linguagem bélica. E não é entre clubes, é mesmo na selecção.

     

     Paulo Bento acusou Ricardo Carvalho de ser desertor. Este respondeu-lhe a dizer que se calhar então o seleccionador seria mercenário. Em resumo, não sei o que aconteceu na selecção, se houve conversas ou não, se foi um acto momentâneo e irreflectido ou se passou por algo mais que levou a este abandono da selecção de um dos melhores centrais que temos. O que sei é que com Paulo Bento isto acontecia com regularidade no Sporting. E desconfio que por detrás disto estão coisas de empresários... o resto, é a velha táctica militar de criar diversões, bombas de fumo, para esconder as movimentações dos soldados...