2009/05/31

A dobrar é sempre melhor...

...e assim vão 14 na prateleira, sendo que esta é a 6ª dobradinha da história do FC Porto, a 3ª nesta década! Para que não fiquem dúvidas de quem é o melhor clube das 2 últimas 2 décadas. Numa, domínio absoluto com um penta. Na outra, 2 taças europeias, um tetra, 3 dobradinhas... e ainda há mais um ano para terminar a década em beleza! E hoje ver a festa do Meireles, do Nuno... Agora só falta a conferencia de imprensa para saber se o Jesualdo fica ou não.

Para mim, fica, e com contrato para 2 anos. E, neste momento, merece!

Preparar o penta, pois então, e porque não pensar já no hexa...

Dobradinha à nossa moda?

Já lá vão 3 anos que a festejamos pela última vez, então era o técnico o mal-amado Co Adriaanse e que iniciou nesse ano a caminhada do Tetra juntando a Taça de Portugal.

Depois disso, nunca mais conseguimos ganhar a competição. Será hoje que o Jesualdo consegue ganhar uma competição a eliminar e juntar ao celebrado Tetra, a Taça?

Agora, vou fazer a habitual praia de domingo no Términus, depois da quase inédita praia de ontem e a pensar na por vezes possível praia de amanhã graças aos feriados... Logo, pelas 17h00, estarei pregado, como habitualmente, à TV para ver as incidências do jogo. E no final, quem sabe, vamos celebrar numa lagostada com o resto do pessoal técnico da provincia ali na Marisquira Califórnia...

2009/05/29

Coisa boa...

...é ter fim de semana prolongado. Começa já e vai até segunda... que é feriado, o Dia Internacional da Criança. Depois do Dia de África na ultima segunda. Apesar de quando trabalhamos, trabalharmos mais do que em Portugal, quando paramos, paramos muito mais que em Portugal... foi no passado sábado de tarde, foi domingo e segunda e agora é o sabado inteiro, domingo e segunda. E as férias estão aí a chegar, 25 à noite já estou dentro do avião rumo a Portugal - e se tudo correr bem, vou acompanhado, verdade, Sara?

A riqueza da lingua portuguesa

A utilização da lingua portuguesa em Angola é de uma riqueza enorme, o que pode ser atestado, por exemplo, nos livros do Pepetela. Aqui, não se fica doente, está-se INCOMODADO. Aqui, não se fica grávida, está-se CONCEBIDA!

2009/05/27

2009/05/26

Leituras [43] - A Vida num Sopro, de José Rodrigues dos Santos



"A Vida num Sopro" é um romance que se lê muito bem e que mostra o excelente contador de histórias que JRS é, sem dúvidas um vulto maior da literatura contemporânea portuguesa. Terminei de ler este fim de semana e acabei o meu "stock" devido à infelicidade de um dos livros que trouxe se ter "evaporado" nas cadeiras do Terminus e nunca ter sido "devolvido" após a leitura por quem o "encontrou"... Vivo agora dos empréstimos, estando a começar a ler Arnaldo Santos, um escritor angolano da "geração" Pepetela e que me parece engraçado, mas de difícil leitura devido ao floreado da linguagem que exige demasiada concentração para ser assimilado.

Mas voltado ao JRS...

Excelente história encontrada nas raízes da sua família por Bragança, leva-nos a um período marcante da nossa história mais recente e onde encontramos muitas explicações para o Portugal de hoje, tantos anos e gerações passadas sobre a subida de Salazar, o "Toninho", ao poder. Parte interessante foi ver retratado, ainda que por mera passagem, um local que pertenceu à minha família, o palácio do Barão do Calvário, em Penafiel, onde Luís esteve preso e acabou por sucumbir.

Porém, marcante, quanto a mim, é uma personagem não humana: o "Nilo", o cão que entra na história a páginas tantas com inteligência extraordinária e que tanto me faz lembrar os cães no seu melhor, leais, fieis, inteligentes, perspicazes, melhores amigos até à hora da morte. Aliás, este livro poderia ter sido escrito de outra forma, em que o narrador fosse o Nilo... fica a ideia... Parabéns por esta excelente personagem que soube montar no Nilo.

Sinopse:
"Um romance para compreender o Século XX português. Um thriller histórico refrescante que traz o grande romance de volta às letras portuguesas.

Através da história de uma paixão que desafia os valores tradicionais do Portugal conservador, este fascinante romance transporta-nos ao fogo dos anos em que se forjou o Estado Novo.
Portugal, anos 30.

Salazar acabou de ascender ao poder e, com mão de ferro, vai impondo a ordem no país.
Portugal muda de vida. As contas públicas são equilibradas, Beatriz Costa anima o Parque Mayer, a PVDE abafa a oposição.

Luís é um estudante idealista que se cruza no liceu de Bragança com os olhos cor de mel de Amélia. O amor entre os dois vai, porém, ser duramente posto à prova por três acontecimentos que os ultrapassam: a oposição da mãe da rapariga, um assassinato inesperado e a guerra civil de Espanha."

Palco de emoções

O palco de emoções que terei o privilégio de ver em estreia em Barcelona está a crescer a olhos vistos em Werchter, uma obra de engenharia estrutural de ferro fabulosa. Daqui a 5 semanas, meros 35 dias de distância, estará em Barcelona. E eu e a Sara também...



2009/05/25

Via Tetra

Este ano foi a primeira vez, desde que sou sócio faz este ano 25 anos, que não consegui assistir a um jogo do FC Porto em casa. A infelicidade de ter estado em Portugal nos momentos em que o FC Porto jogou fora ou o campeonato foi interrompido só foi mitigada pela felicidade de estando tão longe de casa, poder ver o FC Porto numa cavalgada jogo após jogo na Via Tetra até ao destino final, receber a taça de campeão.



E como a festa foi linda... Como lá não estive, este o reporter d'O Jogo e descreveu, muito bem, a festa assim:

"O Porto está na rua. Quando se olhava a multidão, esmagadora, que encheu a noite com a festa do tetra, a frase sorria, com malícia, em muitos lábios. Mas, quem tem medo dos campeões? Na Praça da Liberdade, ninguém. E eram muitos milhares. A polícia deixou trepar andaimes, crescer à altura do autocarro aberto que tinha no topo os vencedores. Só não deixou cruzar a rampa do edifício da Câmara Municipal, frio e às escuras, fechado para o Porto que saiu à rua. O Infante D. Henrique, no início do percurso da consagração dos campeões, não se melindrou. Quando muito, estremeceu, à primeira explosão em redor da equipa de Jesualdo Ferreira, recém-chegada do Dragão. Mas, não virou a cara. Nem mesmo quando uma zaragata deixou um homem por terra e vários outros desesperados à espera de socorro. Não há quem nos acuda, nesta terra onde o 112 nem sempre está em condições de responder a uma emergência. Esta resolveu-se no hospital, e o caminho ficou livre para a maré azul e branca, que começara muito antes, no pôr do Sol do campeonato, no Dragão.

Há muito quem não queira ver a dimensão do sucesso portista - a Liga nem esperou o fim do campeonato para despachar o troféu e também aqui, como na Câmara Municipal, o representante máximo dispensou o espectáculo, mas não o cartaz a promover-se, na Alameda do Dragão. Talvez tudo isto seja mentira. A Alameda, por exemplo, é possível que só exista ao domingo. Porque ela é feita para descer assim, em passo de paz de domingo de manhã, com sol meigo e promessa de festa, lá ao fundo. Por lá desfila um FC Porto elegante. É claro que continuam a circular por ali os cromos e as figurinhas que elevam a paixão pelo clube a níveis que fazem sorrir, como o homem que veste a bandeira, o que inventa um dragão na caixa aberta da carrinha, ou ainda aqueles que fazem deste ambiente um negócio para ajudar à vida, que está tão difícil - não tanto, porém, que abdique dos preços de festa, que a candonga e os cachecóis do tetra (dois, cinco euros!) não se negam a ninguém; ou talvez seja simplesmente o vendedor que se contenta com pouco. Estão todos lá, pela Alameda, mas, os que passam os portões, são os outros, os adeptos que colocam o cachecol com elegância, os que, mais ou menos desportivos, vestem, invariavelmente, bem. O Dragão reflecte cada vez mais a distância que este clube tem para a realidade da cidade, do país, deste e doutros campeonatos. O que distingue o FC Porto é o que está reservado para depois do jogo com o Braga. É a presença nos Aliados, onde os portistas cabem todos, iguais na paixão, na alegria de sair à rua e ver os futebolistas transformados na claque maior: Hulk, um menino que muitos grandes clubes rejeitaram, por ser humilde nas raízes futebolísticas, ia ao leme da barca, e quase dá para jurar que o fenómeno tem pronúncia do Norte - pelo menos, sabe de cor os versos que melindram o rival da capital, de ouvidos sensíveis à rudeza do falar, à força da maré que subiu quatro campeonatos sem ceder, que cresce cada vez mais só - é o único emblema que resta da cidade, nos campeonatos profissionais. O Boavista caiu, ontem. Foi o último a quem a Câmara cedeu a varanda. Mas, há sempre os Aliados."

2009/05/22

Mercado habitacional de Angola direcciona-se para habitação social

Há coisas que não percebo aqui em Angola. O valor da habitação é uma delas. Pedirem valores de 1000 USD ou até mais de renda por um T2, pedirem valores de 3000 USD de renda por uma vivenda ou pedirem mais de 10.000 USD se estiver em zona nobre e pronta a habitar não se explica.

O mercado é totalmente desregulado e não é por causa da construção de habitação social que se vai auto-regular. Porque essa habitação é dirigida a uma camada de população necessitada de habitação condigna, que vive em "musseques" sem condições de salubridade mínimas e o mercado do arrendamento é da população que vive na cidade, classe média e classe alta, e é neste que o mercado está completamente irreal. Porque há empresas que nem pestanejam no momento de fazer a transferência de 120.000 USD de renda anual (sim, aqui a renda é paga anualmente...) e que dessa forma distorcem o mercado.

Acho muito bem que se façam muitos fogos dirigidos a habitação de baixa renda. São necessários e importantes. Uma familia que habite numa casa arranjada, num bairro bonito, sente outra dignidade e força para enfrentar a vida, completamente diferente de viver num musseque. Luanda precisa disso, como Benguela ou Lobito ou o Sumbe - casos que conheço melhor - e como precisa, provavelmente Angola quase toda, um pouco à semelhança do PER que de meados de 80 até finais de 90 e do SAAL no finais de 70 que permitiram erradicar quase na totalidade, em cerca de 25 anos, os "bairros de lata" e "barracas" das principais cidades portuguesas.

Angola está em movimento, diz o slogan, e está mesmo, mas por muito que se mova, só daqui a muitos anos será possível ver o resultado dessa movimentação. Quanto ao mercado do arrendamento, enquanto a "crise global" não atingir a economia angolana com força e, nomeadamente, as empresa do sector petrolifero, nunca haverá regulação, até porque os hábitos de "informalidade" na economia prejudicam essa auto-regulação.

"Mercado habitacional de Angola direcciona-se para habitação social
A oferta de habitação em Angola está a direccionar-se para os segmentos de mercado mais baixos, que se tem tornado um oportunidade de negócio, segundo o estudo da Proprime revelado pelo Diário Económico. O estudo Imobiliário Luanda 2009 – Habitação e Escritórios, produzido pela Proprime, Consultadoria e Avaliação Imobiliária, que contou com a parceria do portal Casa Sapo, revela que "a par da estratégia governamental de apoio ao investimento, surge o programa estatal de construção de um milhão de fogos habitacionais até 2012".
Este programa estatal pretende, de acordo com este estudo, restabelecer "o equilíbrio de mercado de baixa e média renda", uma medida que ajudará a regular o mercado e a ser um pólo dinamizador do sector da construção". No que diz respeito ao mercado da habitação de luxo, este estudo incidiu sobre as zonas de Ingombotas, Maianga, Luanda Sul, Viana e Camama, onde os valores médios de habitação, estima a consultora, rondam os três mil euros por m2. Contudo, a zona de Ingombotas é onde se encontra o valor médio unitário superior, de cerca de 4.200 euros por m2. Entre as zonas mais valorizadas, a que tem preços mais baixos é Camama, onde se encontram apartamentos por valores unitários médios de 2.200 euros por m2. Os valores de habitação apresentados pelo estudo, que se enquadram num segmento residencial de luxo – empreendimentos em condomínio – destacam ainda que em Luanda Sul um apartamento T4 pode atingir um valor médio de cerca de três mil euros por m2, em detrimento de uma tipologia T3, que pode situar-se nos 2.860 euros por m2. A Proprime conclui que "é visível um ajustar de valores, justificado pelo cada vez maior número de profissionais qualificados a intervir no sector e pelo aumento do equilíbrio entre a oferta e a procura". "Os valores unitários, em termos gerais, descem proporcionalmente em função das áreas de construção", escreve-se no estudo."

2009/05/21

Vendo 2 bilhetes dos U2 para Barcelona, 30 de Junho

Vendo dois bilhetes dos U2 em Barcelona a 30 de Junho

Calma! Nós ainda vamos ao concerto. Mas o casal que poderia ir comigo e com a Sara afinal não pode ir... E agora tenho esses bilhetes para venda!

No primeiro anel do estádio do Barcelona, o mítico Nou Camp. Perto do palco. Lugares sentados e reservados. Apenas estou a pedir como valor base o custo real deles, ou seja, o preço que paguei por cada bilhete, o custo que me cobraram do envio para casa por DHL e a taxa extra por ter comprado os bilhetes antes de serem colocados à venda ao público em geral. Total: 115,00 € por bilhete, como é vendido em pack, 230,00 € no leilão do miau.pt. A quem souber de interessados, é passar palavra, por favor...

E agora, para não perder oportunidades de negócio, em inglês :) numa estreia neste blogue...

I have 2 left-over tickets to sell for the opening show in Barcelona of U2's 360º Tour, on June 30th, due to a couple of friends that couldn’t attend. Tickets are for seated and reserved places in chairs, close to the stage, first ring of the Camp Nou stadium. This is the minimum amount because I paid both ticket, a post-send tax and a special tax to buy them. I will send it by letter and buyer as to pay them on reception, all taxes and expenses to be included on the final price. The amount of money is for both tickets, I don't sell them individually.

Labels: U2, tickets to sell, Barcelona, opening show 360º Tour, June 30th

Torre de Foster de Lisboa poderá não sair do papel


Imagem Público

Parece que ainda não é desta. Não há grande nome da arquitectura mundial que consiga levar para a frente um projecto que dê a Lisboa um marco de arquitectura que, à imagem de tantas cidades pelo mundo fora, a começar por Bilbau tão próxima de nós, fizeram de um edificio singular de um grande arquitecto uma atracção turística.

As indecisões, o medo de permitir construir em altura, de criar uma "city" são coisas que, em 2009, não se compreendem. Para mais, quando os projectos não são meus, um ilustre desconhecido, mas trazem a marca de grandes nomes da arquitectura (assim por alto tenho ideia que já se falaram e nunca se concretizaram para Lisboa projectos deste género de Normam Foster, Siza, Taveira, Souto Moura, Richard Rogers ou Frank Gerhry) é de ponderar qual é o critério que tem declinado este tipo de intervenção na capital. Aliás, não percebo como é que nenhuma das cidades-dormitório em seu redor ainda não se aproveitou dos diversos recuos de Lisboa sobre o assunto e avança ela com uma "nova" cidade deste género... Eu sei que a parte dos investidores é fundamental e que se pudessem era sobre o Palácio de Belém e os Jerónimos que construiam, mas há que ser inovador e apostar para ganhar. A "Defense" fica no centro de Paris? Não fica, e não deixa de ter sucesso! E tantos casos mais que se poderiam mostrar assim.

Ainda há muito caminho a percorrer até que a arquitectura seja uma disciplina aceite como organizadora do espaço urbano e criadora de espaços de vivência de ruptura ao existente, trazendo com essa ruptura novos e diferentes habitats e modos de vida.

2009/05/20

Betão... orgânico?

Diz a noticia do Público que 2 arquitectos inventaram algo a que chamam "betão orgânico" por permitir que vegetação cresça no seu revestimento, ideal por isso para ser aplicado em caminhos exteriores em parques e jardins, rampas ou em muros de suporte.

A ideia parece-me interessante, mas pergunto-me se isso se pode considerar "uma invenção". Podendo estar enganado, porque a noticia não é esclarecedora nesse ponto, parece-me que tudo passa por uma "receita" diferente dos materiais componentes do betão, ou seja os inertes e aditivos utilizados é que, nas quantidades misturadas, poderão permitir que o betão tenha essa característica. Daí a ser uma invenção, parece-me inadequada a expressão.

Agora que é um material com "panos para mangas" e imenso potencial para ser usado, isso estamos completamente de acordo.

Pelo menos, no meu caso, uma das coisas que mais detestava era a profusão de betão que, para mim, tinha de ser "dissimulado" de forma a minorar o seu impacto em muitos projectos onde estive envolvido, devido ao acidentado terreno da minha área de influência, distrito de Braga. Este género de solução é interessante, normalmente recorria à pedra como alternativa, mas isto permite toda uma nova forma de pensar o projecto de origem.

Aos colegas autores, os parabéns pela ideia e persistência em desenvolver o produto. O maior reconhecimento, tenho para mim, será começar a ver o material aplicado. É como quando projectamos um edifício: o maior reconhecimento é ver o mesmo utilizado...

BNA (24) - Outra vez mais obra

Conforme referi no passado sábado, a porta maior de madeira também já está a ser aplicada. Primeiro tem de ser montada, nivelada, depois desmontada para o corte do pavimento onde anda a calha e para fixar varões roscados ao tecto de forma a conferir maior estabilidade ao conjunto e, por fim, montada novamente na posição final. Para além disso, seguem os remates do marmorista e a colocação de alumínios - vidros é já a seguir, já cá estão no estaleiro e começam a ser cortados hoje mesmo...





Dá trabalho, são mais de 4,5 metros de porta, mas o resultado final será excelente.



As banheiras também estão em fase de remates, o aspecto final será este, graças aos bons ofícios do Hélder e da equipa que aqui montou.



Os vãos em alumínio estão a ser aplicados nos pisos inferiores, do 2ª para baixo, praticamente 95% da nossa obra de alumínio está executada e aplicada ou em aplicação.

2009/05/19

Filmes [6]: Anjos e demónios, o filme



Depois do livro que li já há algum tempo, um dos meus preferidos pelos locais onde a trama se desenrola e que me transportaram de imediato aos meus tempos de apaixonar-me pela arte e história da arte, no ensino secundário, chegou finalmente às salas de cinema de todo o mundo. Todo? Não, ainda há países onde só nalguns pontos há cinemas "modernos" e com filmes "modernos", como este onde resido, infelizmente, onde que eu tenha conhecimento apenas em Luanda, no BelasShopping há salas de cinema modernas com filmes recentes.

Assim sendo, resta-me esperar e implorar que o filme se mantenha em cartaz até que eu chegue a 26 de Junho para poder ver, em todo o esplendor do escuro da sala e em grande ecrã este blockbuster.

A Sara, que já o viu, adorou. E eu tenho a certeza que vai adorar vê-lo novamente comigo... :)

Se assim não acontecer, resta-me a habitual ida à FNAC para comprar o DVD e no sofá de casa, com o home-cinema e a tv de 52'' aproveitar o melhor possível do filme...

2009/05/18

De Olhão...



E 35 anos depois, o Olhanense regressa ao escalão maior do futebol. Já há algumas épocas que ameaçava e desta vez, conduzidos pelo Jorge Costa, chegaram lá.

De parabéns está o clube e a cidade, falta ver se agora conseguem criar uma estrutura que se aguente por lá - ou se será como a maioria dos clubes que descem na época seguinte e dificilmente regressam: ver Aves, Santa Clara, Vizela, Beira Mar, Tirsense e provavelmente Trofense...

De resto, falta definir quem acompanha o Olhanense e quem os substitui na Liga Vitalis, sendo que Belenenses e Trofense são os maiores candidatos. Vai ser um fim de semana cheio de emoções entre os mais pequenos, que entre os grandes tudo está já definido e apenas cumprem calendário.

2009/05/16

BNA (23) - Mais obra

Cá vai seguindo, desta vez umas carpintarias que chegaram de Portugal (umas portas de abertura especial, em fole sobre pivot e carretos e uma delas com dimensões incomuns, cerca de 5 metros de vão) e a rua Bartolomeu Dias que avança bem.











A porta em fase de montagem até já estar pronta a abrir - bem, não totalmente, ainda falta colocar o carril onde desliza o pivot - e pormenor do carreto. Esta porta, a pequena das duas, já está no sitio. Agora na 2ª feira vamos montar a do piso 3, com o dobro de vão desta.





Na rua já está quase pronto o lancil e vamos começar na próxima semana as sarjetas e limpeza de infra-estruturas hidráulicas enterradas.

2009/05/14

Só?

Diz o Mira Amaral, presidente do angolano Banco BIC em Portugal, que há dupla tributação nas exportações para Angola.

Só? E os impostos escondidos? E a burocracia que há entre países sem acordos entre eles que facilitem transações e movimentações de bens e pessoas?

Ainda há muito caminho por desbravar e desconfio que só quando Cavaco Silva cá vier visitar Angola é que mais algumas vias serão abertas...

Será milagre?

Segundo o Público, ontem, 13 de Maio, foi finalmente aprovado na comissão parlamentar das obras públicas e será agora votado no plenário o fim do decreto-lei n.º 73/73 que consagrava a todos a autoria de projectos de arquitectura.

A partir de agora, se de facto nenhuma reviravolta acontecer, ficam claramente defendidos os interesses dos arquitectos e demais profissões envolvidas nas obras.

Aos arquitectos caberá a autoria de projectos, podendo ainda assumir as áreas de urbanismo, fiscalização de obra e direcção de obra - tendo estas duas últimas a ver com a natureza predominante das mesmas, isto é, se forem obras de carácter predominantemente arquitectónico deverão ser arquitectos a assumir essas funções, se forem de carácter predominante da engenharia, então deverão ser engenheiros.
Mais ainda, todos os projectos deverão conter uma especialidade de arquitectura e outra de engenharia.

Assim fica, finalmente, defendida e clarificada a área de intervenção das várias entidades que deverão colaborar num projecto e numa obra. Já não era sem tempo! E só espero que não inventem mais nenhuma desculpa para não levar até ao fim este diploma. Porque o próprio prevê ainda um espaço de tempo de 5 anos para transição das leis e dessa forma defende quem se queira ajustar à nova lei.

Quanto a mim, continuo a achar que isto deve ser um milagre do 13 de Maio...

2009/05/13

2009/05/12

A morte anunciada da Formula 1?


Imagem Público

Começo a ficar preocupado com o futuro da disciplina máxima do desporto automóvel. Já não bastando o facto desta época estar o mundo virado do avesso, com o actual campeão a fazer classificações miseráveis e com a Ferrari a ter conseguido pontuar apenas 2 vezes uns míseros pontitos, graças sobretudo às alterações das regras que beneficiaram as pequenas equipas e prejudicaram, e de que maneira, os "tubarões", agora com a questão da limitação orçamental arriscam-se a fazer que a Ferrari abandone o circo - onde nunca falhou a partida desde que há este desporto, em 1950!

A F1 sem a Ferrari não existe. Acaba. Se a Ferrari não participar, deixa de haver a mais histórica e mítica das equipas, com mais seguidores em todo o mundo e deixa de haver F1 como a entendemos até hoje.

Espero que o idiota do presidente da FIA que há montes de anos tudo tem feito para desprestigiar este desporto, não consiga levar a dele avante. Ou isso, ou a F1 termina para mim...

2009/05/11

Faltam 50 dias



Para o concerto do ano, a abertura da tournée dos U2 em Barcelona, no Camp Nou. E e eu e a Sara vamos lá estar! 'Mor, nunca mais é 30 de Junho...

2009/05/10

TETRA-CAMPEÕES



1
Porque temos a melhor defesa.


2
Porque temos o melhor ataque.

3
Porque temos o melhor treinador e presidente.

4
Porque sim, porque temos o melhor plantel, os melhores jogadores, porque é justo, merecido e somos a melhor equipa portuguesa, nacional e internacionalmente.

A vencer desde 1893...

Reza o slogan do FC Porto. E como há hábitos saudáveis e tradições que devem ser mantidas, espero que hoje juntem mais um titulo para que em 2009 se possa continuar a anunciar que continuamos a vencer há 116 anos... Vamos ao tetra!


Foto Filipeportista

2009/05/09

Caricato



Das coisas mais estranhas que tenho visto em futebol e com resultados demolidores, pela influência no resultado final. Como é possível uma simples bola de papel ser tão decisiva no resultado de um jogo de futebol?

2009/05/08

BNA (22) - Cada vez mais remates, cada vez mais acabada

Cada semana que passa a obra evolui e está mais próximo do final. Cada vez trato de assuntos cuja delicadeza de execução a tornam mais próxima do final, cada vez preparo acabamentos de final de obra - sinalética, iluminação, arranjos exteriores... Tem sido uma aventura fantástica desde que peguei num edificio e o despi até à estrutura e paredes de tijolo e recomecei a trabalhar nele tudo o que é especialidade. Hoje, que já vejo a sua conclusão próxima, sinto uma imensa satisfação pelo trabalho que esta imensa equipa (uma média de 55 trabalhadores desde o principio da obra, com o pico actual de cerca de 100 trabalhadores diariamente presentes) desenvolveu ao longo de cerca de 650 dias uteis de trabalho e mais de 300.000 horas de trabalho. É obra!



As janelas e armários concluídos, os rodapés feitos, as portas colocadas, os tectos e paredes já com uma demão de primário e o aspecto é cada vez melhor, próximo da conclusão no piso 5.



Na sala de trabalho os apainelados estão quase prontos, falta apenas um de remate entre as almofadas e a janela. Do lado oposto apenas está o ripado porque os paineis de couro só mais para o final serão aplicados, para protecção destes.





A cozinha industrial, a camara frigorifica e a linha de self-service é a primeira das sub-empreitadas 100% concluída. Com a chegada esta semana dos últimos equipamentos, está tudo pronto para confeccionar e servir refeições, num espaço funcional e moderno e equipado com bom material e o essencial para o efeito. Agora vamos rematar os tectos e na próxima semana os vidros, faltando apenas a conclusão das ligações electricas para tudo estar a funcionar.







Cá fora alguns vislumbres do aspecto final da obra, entre andaimes e rede-sombra que, não tarda muito, irá começar a desaparecer libertando assim a obra para fruição da cidade.



Nos arranjos exteriores, a rua está nivelada e em breve deverá começar a receber o pavimento, tal como o passeio deverá receber o mosaico hidráulico. Na rua também já estamos a trabalhar no sub-solo, para a semana as sarjetas estão prontas e aos lancis pouco falta para serem concluidos.

2009/05/07

SAAL - Casas para o povo?

Foi um momento marcante da arquitectura em Portugal, pela simbologia do trabalho e das utopias de um novo país pós-revolução, com o envolvimento de um arquitecto como Secretário de Estado e a necessidade que o Portugal tinha de recuperar tempo perdido e dignidade na habitação.

A forma como o projecto se desenvolveu em vários pontos do país, com arquitectos (hoje de renome, na altura nem tanto) como Siza, Souto Moura ou Byrne a projectarem, o Estado a ceder os materiais e a população que vivia em barracas ou casas degradadas juntava-se para construir os novos bairros onde depois foram morar.

Um registo de como os arquitectos e a arquitectura podem, de facto, fazer coisas diferentes pela população que, por norma, as outras corporações não conseguem por não terem uma visão abrangente da sociedade como têm os arquitectos - a formação variada que recebemos, da Arte às Ciências Sociais e da Engenharia à Economia, passando pelo Direito e pela Informática, abrem novos horizontes aos arquitectos que mais se notam quando ocupam cargos políticos ou decisórios.

i

Mais um jornal no mercado lusitano que se quer intrometer entre os públicos do Público e DN. Não consegui ainda ver o seu conteudo on-line mas o que vi na TV esta manhã foi apelativo quanto ao conteúdo gráfico e aspecto do jornal.

Reservo mais comentários para quando o vir na net e, em particular, para quando o manusear em Portugal... se ele sobreviver até eu chegar em finais de Junho...

A final possível...


Foto: UEFA

Não é, para mim e para os portistas, a final de sonho. É a final possível. Porque de sonho era sabermos se jogavamos com o Barcelona ou o Chelsea.

Estivemos perto de discutir com o Arsenal a meia-final. Não era escandalo nem injusto. Em Manchester fomos claramente melhores e só um erro infantil e desproporcionado do Bruno Alves deu o empate nesse jogo. No Dragão, não estivemos bem e não tivemos a estrelinha da sorte: nem no lançe do Ronaldo quando marcou de fora da rua nem nos minutos finais quando tivemos uma clara oportunidade de golo mas, ao contrário de ontem com o Barcelona, a bola não entrou. Ficamos a um pequeno golo de eliminar o Manchester e, quem sabe, discutir com o Barcelona a final de Roma.

Por isso esta é a final possível para nós. Ver quem nos eliminou com a equipa que melhor tem jogado...

2009/05/06

La cabra, la cabra...



Nunca pensei que a crise mundial desse nisto... Ver cabras à porta da Google em vez de jardineiros... Para empresa tecnológica, está a baixar muitos os padrões de admissão de funcionários. Assim não terá grande futuro!

E com a moda dos animais de estimação de origem lusa, serão estas cabras da montanha do Gerês?

2009/05/04

Quase tetra

Faltam 3 pontos para o tetra-campeonato, que tanto poderão vir de uma nossa vitória no domingo contra o Nacional da Madeira no Dragão, como poderão vir, porque não?, da derrota do Sporting contra o aflito Setubal no sábado...

Seja como for, já cheira a alho-porro e sardinha ali na alameda do Dragão, está a chegar o primeiro S. João ainda em Maio, é só mais um esforço da equipa e abram-se as garrafas de Super Bock, pois então!

E é justo e merecido, porque o FC Porto mostrou ao longo da época ser, de facto, a melhor equipa nacional (não só nacionalmente, como internacionalmente) e é por isso de inteira justiça sagrar-se campeão e com este 4º titulo consecutivo e 7 esta década (se não estou em erro...) mostrar-se assim mais uma vez como a mais forte equipa do nosso futebol desta década (como já o foi nas duas anteriores) ao qual está associado, goste-se ou não do estilo, a figura do seu presidente de 27 anos, Jorge Nuno Pinto da Costa.

E se este ano não consegui ver nenhum jogo do FC Porto no Dragão (talvez a primeira vez que isso sucede desde que sou sócio do FC Porto, faz este ano 25 anos...) este título, por ser festejado longe, muito longe de casa, ainda me sabe melhor...

Para recordar, uma imagem de 97-98, um cachecol com escritos semelhantes aos que se vão encontrar dentro de dias à venda:

2009/05/03

Barão do Calvário

Não é todos os dias que encontramos referências a nossos antepassados em obras artísticas variadas.

Hoje de manhã tive a grata surpresa de pela página 225 do romance "A Vida Num Sopro" do José Rodrigues dos Santos que estou a ler ver lá referenciado este meu parente, Manuel Pereira da Silva, também conhecido pelo titulo nobliarquico de Barão do Calvário, (salvo o erro, meu tetra-avô) do qual sou descente directo.

2009/05/01

Preguiça

É um dos sete pecados mortais. O meu preferido, juntamente com a gula! E estes dias de mini-férias são mesmo bons para abusar de ambos! Adoro pecar assim... :)