2008/03/07

Porto amargo

Ainda não digeri bem a eliminação do FC Porto da Liga dos Campeões aos pés de uma equipa fraca e perfeitamente acessivel.

É certo que o guarda-redes alemão ou vai ser um dos melhores do mundo muito em breve ou fez, aos 21 anos, o jogo da vida dele e nunca mais fará nada de igual na vida!

É certo que foi um FC Porto dominador, autoritário e bem organizado que esteve em campo, que humilhou os alemães em grande parte do tempo. Que jogou, dominou e criou lançes de perigo em quantidade suficiente para resolver o jogo a tempo e horas, sem prolongamentos e sem penaltis.

Mas também me enerva que esse FC Porto não tenha sido capaz de transformar as oportunidades criadas em golos. De repente, lembro-me de duas perdidas incriveis e inacreditaveis do Tarik e uma do Quaresma já no prolongamento. Mas tambem fiquei com a nitida sensação que se jogasse o Farias de inicio em vez do Tarik a coisa poderia ser diferente. E ficou, para mim, claramente confirmado que o Bruno Alves é uma aposta furada, um suplente razoável mas nunca um n.º 2 sucessor dos míticos João Pinto e Jorge Costa! Quem me conhece sabe que nunca me caiu no goto desde que o pude ver uma época a jogar em Guimarães e pude me aperceber, domingo a domingo, dos defeitos dele que continuam válidos - joga para onde está virado, não sai com bola controlada, raramente acerta um passe em profundidade, falha imenso na marcação nas bolas paradas defensivas. Falta categoria e classe a este jogador. O Tarik é voluntarioso mas não tem "pedigree" para um clube como o FC Porto - desde sempre que digo que por se ser o melhor de um pequeno país (futebolisticamente falando) não significa que se seja grande coisa nem tenha de ser titular do FC Porto!
Enviar um comentário