2004/03/24

FC Porto [ III - O regresso a casa ]

Satisfeito com a vitória, lá penei de regresso ao carro com o meu pai, ali perto da faculdade de economia... É uma estirada, mas ali há sempre lugares e isto de se trabalhar até às 18h com o jogo às 19h45 dá que vou tarde e lugares perto do estádio, é mentira!

Quando chego ao carro, vejo um vidro partido! O do "pendura". Começo a olhar melhor e vejo também o vidro pequeno triangular da porta atrás do "pendura" partido! E quando dou por ela, até o vidro da mala está partido! TRÊS VIDROS PARTIDOS E NÃO ROUBARAM NADA PORQUE NÃO HAVIA NADA PARA ROUBAR NO CARRO!

E não foi só o meu. Ao lado, estavam mais dois carros, cada um com o seu vidro partido. E se um deles teve a mesma "sorte" que eu, isto é, nada levaram, ao outro levaram um portátil com todo o trabalho que tinha...

Telefonema para a frente, telefonema para trás e chega o carro patrulha da PSP. Que estava a guardar outro automóvel a 100 metros que também tinha sido assaltado... E quando me estava a preparar para ir embora, mais outro proprietário de um carro descobre o assalto da ordem, que obrigou a PSP a sair novamente do carro que já se deslocava para outro local mais adiante para atender... a outro assalto!

Ou seja, enquanto meia PSP do Porto estava no estádio a controlar 100 franceses (que não seriam mais do que isso) os drogados andaram a "limpar" toda a freguesia de Paranhos. É que segundo nos informou um dos agentes, para toda a área de paranhos até à Areosa (acho eu, que com os nervos com que estava nem tenho a certeza do que ouvi...) só aquele carro-patrulho estava de serviço, com os dois agentes a terem de patrulhar, atender aos locais dos crimes e tudo o resto!

E depois vem o Bloco de Esquerda dizer que temos gente presa a mais ou que deviamos legalizar as drogas leves... Eu é que lhes dizia o que é que eles podiam legalizar e onde é que os metia, juntamente com essa cambada de drogados que não respeitam a propriedade dos outros, conquistada com o seu trabalho e suor!

Conclusão - amanhã, para além de ter de voltar ao Porto para ir à esquadra levantar o auto para entregar na seguradora, vou ter de andar a fazer telefonemas, saber quando posso levar o carro à oficina para colocar os vidros novos, etc... Vai ser um dia (pelo menos...) perdido por causa desses estropiados dos drogados de merda, desses fracos que não resistindo a uma tentação porque não souberam um dia dizer que não, agora gastam as suas energias a darem cabo da paciência e da visa aos cidadãos normais deste país (sim, tenho pena, mas um drogado é um anormal, visto que a esmagadora maioria dos cidadãos não são drogados, logo se estes são normais, os drogados são anormais!) e que causa prejuizos não só à sociedade como também à produtividade com o tempo que rouba a quem trabalha para andar a tratar das burocracias todas que estes processos obrigam!
Enviar um comentário