2004/08/31

Sinais dos tempos

Quando eu era pequeno, havia o barco do amor. Hoje, há o barco do aborto!

Não concordo nada com a sua vinda a Portugal. Em primeiro porque há uma lei que permite fazer abortos a quem realmente tem de os fazer, se for esse o caso. Porque para as outras, a mesma informação que diz que se pode abortar também existe a dizer como se pode evitar engravidar: a pilula, o preservativo, o DIU, o vasectomia, a laqueação de trompas...

Depois, não acho correcto vir uma qualquer associação holandesa vir para Portugal fazer propaganda contra uma lei que está em vigor, perfeitamente legal e enquadrada dentro do espirito cultural do país. Isso é um atentado à nossa soberania e não percebo como é que os partidos radicais agrupados nas coligações Bloco de Esquerda e Coligação Democrática Unitária, bem como alguns comunistas que estão filiados no PS são capazes de defender a sua vinda cá e ao mesmo tempo criticar que a crescente perda de soberania portuguesa com a globalização e a integração europeia; ou seja, para umas coisas a UE é má, para outras já serve... É a habitual e costumeira hipocrisia desses partidos que vivem no limiar da demmocracia e que nos têm habituado nos últimos tempos a estes espectáculos "fracturantes" e que têm o condão de nos distrair sobre os assuntos que realmente são importantes no país. Caída a ideologia, restam apenas algumas bandeiras como o "aborto", a "globalização" e outras pequenas coisas ainda mais marginais do que estas.

Sinais dos tempos que indicam claramente que estamos num período de final de républica... Que venha a IV, que esta III já não tem muito mais para nos dar!
Enviar um comentário