2008/08/19

Vanessa da Prata


Mas com um travo amargo, porque quem tem o palmarés que ela conseguiu ao longo destes últimos dois anos, um averbar de vitórias consecutivas, quase imbativel em provas internacionais, não esperaria que a Vanessa Fernandes voltasse da China com outra medalha que não o ouro...

Aliás, é estranho (ou não) o que se tem passado nestes jogos com a maior representação de sempre de Portugal. Porque se bem me lembro já há 4 anos houve este debate sobre os nossos atletas que durante alguns usufruem de bolsas, estágios pagos e sabe-se lá mais o quê para se prepararem para esta competição e, chegado o momento de apresentarem o resultado dessa preparação, desse investimento, falham estrondosamente. E já foi assim em 2000 e 1996. Com a excepção de um outro atleta que de uma forma mais ou menos esporádica consegue ultrapassar a mediania, este é quase sempre o nosso panorama. Sendo que este ano a coisa foi agravada com desculpas estapafurdias que vão desde ecras que destabilizam cavalos até ao horário das provas que é bom para se estar na cama! Sinceramente, acho que o problema nem são os atletas em si. O problema está na forma como se avaliam os atletas que se selecionam para ir aos JO e na cultura portuguesa de desresponsabilização total que vem sendo fortemente implantada nos jovens desde a mais tenra idade e que, nestes momentos, se eleva ao seu máximo esplendor. Por exemplo: a menina que achou que não valia a pena competir com tantas africanas na prova dela não sabia de antemão que elas lá iam estar? Então porque motivo aceitou trabalhar durante alguns anos com financiamentos públicos para se preparar para competir com elas, porque aceitou entrar no avião que a levou até Pequim? São estas pequenas coisas que me fazem "subir a mostarda ao nariz"... É que o mau aspecto é tão grande que até já chegou lá fora...

Em todo o caso e perante um tão confrangedor panorama representativo, mas de elevado grau criativo nas desculpas apresentadas, esta medalha sabe, talvez, a única e caso quase isolado no profissionalismo e entrega da atleta.
Enviar um comentário