2012/06/10

A primeira derrota...

...já cá canta. O meu pessimismo em relação à nossa participação começou por confirmar-se, com a derrota no jogo de abertura. Aliás, sejamos sinceros, quando Ronaldo diz que o empate já o satisfazia, quer dizer que a própria equipa não está crente em si mesma.

Evidentemente que as escolhas de Paulo Bento não ajudam. Deixar de fora Bosingwa foi um erro enorme. Estar a usar jogadores como João Pereira, Miguel Veloso, Nani, Postiga e Nelson Oliveira também não contribui com nada de positivo. Entrar em jogo cheio de cautelas é convidar a Alemanha a subir. E não gastar as substituições todas depois de uma época desgastante é também um erro, pois a equipa encontrava-se desgastada.

Apesar de tudo, esperava que a coisa corresse pior - não por nós, mas pelos alemães que esperava que pressionassem mais e atacassem mais os nossos pontos mais fracos: João Pereira que não defende bem, Miguel Veloso que é muito macio a trinco e Coentrão que sobe muito e não recupera bem. Felizmente, a Alemanha ainda está a olear a máquina e coisa escapou só com um golo - um falhanço defensivo, onde nem Coentrão nem Veloso cobriram o alemão que centrou e onde João Pereira se deixou antecipar por Gomez que, ao contrário dos nossos atacantes, não desperdiçou.

De resto, para mim o melhor em campo dos portugueses foi Moutinho, apesar dos bons 20 minutos de Varela, mas falhar (ou permitir a defesa...) naquele lance é imperdoável...

Ronaldo, nem se viu. A mais valia que ele é em Madrid, Paulo Bento não consegue "copiar" para a selecção. Podia ter aproveitado que o Mourinho estava lá e pedia-lhe uma dica...

E por falar em Ronaldo, o anti-Ronaldo à mesma hora nos EUA marcou 3 e derrotou sozinho (salvo seja!) o Brasil de Hulk, que voltou a marcar... E agora, de mão na calculadora, segue-se a Dinamarca, que tem de ser derrotada para continuarmos a pensar em avançar na competição. Eu cá continuo em estado "moderadamente pessimista" e não me acredito em grande resultado na próxima quarta...
Enviar um comentário