2011/02/11

Em casa onde não há pão, todos ralham...

...e todos acham que têm razão.

Se num primeiro momento, após Louçã ter anunciado a Moção de Censura ao Governo, o meu pensamento foi "é desta que o Sócrates vai cair", depois da poeira assentar e de ver a histeria dele na resposta e de uma série de agentes envolvidos no processo, cheguei à conclusão que só a ponderação e distância (real, por estar em Paris) de Pedro Passos Coelho poderá ser a salvação de Sócrates para mais alguns de meses de (des)governação até estarem reunidas as condições ideais de mudar de Governo.

Conforme noticiam os jornais de hoje, estão Passos e PSD sob pressão para "travar" censura do Bloco ao Governo e porque aparentemente o texto do BE será altamente ideológico (de extrema esquerda, como é evidente) e contra a Europa e o próprio PSD, o resultado é que a Moção do BE pode falhar, segue-se a censura do PCP que, se for um pouco mais neutra e se seguir ao conhecimento de dados político-financeiros das políticas do Governo, provavelmente será então aprovada.

O que é facto é que apesar da vontade de correr com Sócrates seja enorme, não sei se este é o momento de o fazer. Até o próprio timing do anúncio é mau. Avisar agora que daqui a um mês haverá a MC é deixar um país em suspenso durante esse tempo. O que é mau para o país, como é evidente, que não pode ter o machado sobre o pescoço todo este tempo. Ou corta ou não corta. Que é como disse o Paulo Portas há uns dias, as MC não se anunciam, apresentam-se!

Em suma, não havendo pão por cá, há muito ruído de fundo. E ninguém terá razão como é evidente, a começar pelo Governo.
Enviar um comentário