2011/02/27

2000



O Expresso faz este fim de semana a sua impressão número 2000, 38 anos de idade (1973-2011) que é também a minha (apesar de eu ter nascido em 1972).

Como é evidente, não sou leitor desde a primeira edição, como fui do Público. Mas lembro-me de bem míudo ver lá por casa o Expresso e ainda adolescente não prescindir da sua leitura.

Lembro-me das edições ao kilo! Da introdução do saco de plástico para as carregar. Da concorrência do Independente e do Semanário, que não lhe sobreviveram.

Lembro-me dos excelentes artigos de arquitectura que a revista trazia, únicos num panorama editorial nacional.

Lembro-me até da edição 1000 - provavelmente, até poderá estar guardada algures no meio das minhas tralhas na garagem ou na casa dos meus pais...

Muito do que penso, do que sou politicamente e da pessoa que hoje sou devo-o ao Expresso.

Desta semana, para guardar e recordar, a revista especial comemorativa. Muito boa.

Parabéns e obrigado, Expresso.
Enviar um comentário