2011/02/16

Ronaldo, o fenómeno!



Foi em 1996 que ele marcou um dos melhores golos de que tenho memória.

E que golo.

E como este, Ronaldo Luís Nazário de Lima marcou muitos outros, jogadas fantásticas, em que conjugava força, velocidade e técnica e um faro pela baliza enorme.

E agora, infelizmente, deixou o futebol. Pelo que o futebol está mais pobre, até porque hoje é muito mais difícil um jogador marcar golos assim, como sabemos.

Deixou o futebol, mas deixou uma marca enorme: é o melhor marcador de sempre das fases finais de mundiais, é bi-campeão do mundo em 1994 e 2002 e medalha de bronze nos Jogos Olímpicos de Atlanta em 1996, 3 vezes o melhor jogador do mundo em 1996, 1997 e 2002, passagens por clubes como o Cruzeiro, PSV, Barcelona, Inter de Milão, Real Madrid e AC Milan antes de encerrar no Corinthians, alguns dos melhores desta última década, onde conquistou inúmeros títulos colectivos e individuais.

Lamento que nunca o tenha visto jogar ao vivo, já que acho apenas terá jogado com 16 anos na pré-época contra o FC Porto, em 1993 (jogo que não terei visto) e nunca jogou contra o FC Porto nas Antas ou no Dragão enquanto sénior e jogador feito, infelizmente. Porque jogadores destes, independentemente do resultado final do jogo, vale a pena sempre ver.



Obrigado, Ronaldo. Cada lágrima tua eu compreendo-a. Foste um fenómeno, de facto, mas acabou. Ficam as gratas memórias para recordar.
Enviar um comentário