2011/05/11

Construção sustentável - cidades mais inteligentes

Uma iniciativa Construção Sustentável conjunta com a Ordem dos Engenheiros (Norte) organizou ontem, no auditório do Museu D. Diogo de Sousa, em Braga, um seminário dedicado a este tema que se revelou extremamente interessante.

Durante cerca de 2,5 horas ouvimos vários oradores a falarem sobre este tema cada vez mais premente na organização das cidades onde vivemos, trabalhamos e passamos 90% do nosso tempo.



Da sessão de ontem em Braga o que mais me marcou foi a apresentação de Antonio Pires dos Santos, da IBM, que apresentou uma excelente intervenção sobre a gestão de sistemas de sistemas de informação, ou seja, sobre a rede de sistemas de informação que uma cidade dispõe e como os gerir de forma a tirar o maior proveito delas - evidenciando, para o efeito, o trabalho da sua empresa, como é lógico. Dos temas que abordou, destaco o Smart Grid Maturity Model apresentado para a gestão dos sistemas de electricidade (também o há para as cidades) e que permite avaliar em cada momento a maturidade da rede. Um conceito muito interessante e passível de grande aproveitamento ao nível das autarquias para optimizarem a conjugação de redes (de transportes, comunicações, dados, geo-localização, emergência, etc).
Deixo ainda o link de um interessante documento sobre SGMM em PDF no Scribd.

Alguns dados apresentados pela ADENE também foram interessantes, por mostrar a validade e melhoria que o sistema de certeficação energética pode trazer ao mercado de construção. Senão, pense-se que da análise dos Certificados Energéticos já emitidos sobre edifícios existentes detectou-se que as piores classificações referem-se ao edificado nos anos 70. E que constata-se ainda que 63% da globalidade dos edifícios existentes certificados são de categoria C ou inferior (isto é, são fracos do ponto de vista do desempenho energético) e que se fossem levadas a cabo as medidas propostas para eles de melhoria constantes nos certificados energéticos então mais de 80% deles seria de categoria B- ou superior (o que significa que estariam ao nível dos edifícios novos).

Foi por isso uma sessão muito interessante. E com muitas pistas e ensinamentos para o futuro.
Enviar um comentário