2011/05/11

Novas escolas da Parque Escolar não são sustentáveis

Excelente reportagem esta do programa Biosfera que, não sei porquê, passou ao lado do grande público e mostra o escândalo que tem sido o processo de reconstrução das escolas em Portugal promovido pela Parque Escolar, empresa pública que o Governo Sócrates criou para o efeito.

Desde logo, esta empresa é a 5ª mais endividada do sector público português, o que é uma enormidade e está em risco de não ter receitas para fazer valer todas as despesas que lhe entram todos os dias.

Depois, porque as obras que executou são de muito cara manutenção, nomeadamente na factura energética. Estes edifícios dependem enormemente da ventilação mecânica forçada e do ar condicionado, o que chegou a triplicar nalguns casos a factura mensal de energia que as escolas têm de pagar - implicando com isso que estão a ficar sem dinheiro para pagar essas contas e a desligar esses sistemas. O que está a criar um mau ambiente de funcionamento, excessivo calor e pouca renovação de ar nestes locais - tornando assim as escolas "novas" bem piores de suportar que as escolas "velhas", bem mais confortáveis termicamente.

As escolas não são sustentáveis termicamente e deixam uma enorme pegada ecológica no meio ambiente, bem como promoveram a importação de milhares de equipamentos de ar condicionado.



É urgente parar esta empresa pública de se endividar e endividar as escolas. Urge mudar, também aqui, o rumo da governação do país...
Enviar um comentário