2011/05/23

E viva a Taça!



Ontem foi mais um dia de festa e alegria, para infortunio dos meus inumeros amigos vimaranenses/vitorianos que viram novamente adiado o seu sonho de ganhar uma competição, neste caso, a Taça de Portugal. Porque este FC Porto, como o provou ontem, não é para consumo interno e está para lá de tudo o que encontra por Portugal - pelo menos, em condições normais.

Foi, no entanto, uma grande festa e um bom jogo, recheado de golos e numa primeira parte verdadeiramente louca, que incluiu até um penalti defendido pelo Beto.

Foi pena, por isso, que o jogo se tivesse jogado no decrépito e desadaptado estádio do Jamor, porque um jogo destes merecia outro palco, moderno, confortável e seguro - apesar de, pelo que sei e fui vendo na TV, tudo se ter passado na maior das normalidades nas imediações do estádio no tradicional piquenique antes do jogo, à semelhança do que aconteceu também em Dublin no jogo frente ao Braga e como eu aqui relatei, o que deixa para pensar porque será que os únicos jogos em que há confusão entre adeptos são aqueles em que o Benfica está envolvido...

De resto, mesmo não tendo ido, também esse jogo foi uma festa aqui por casa, já que cerca de 15 pessoas da minha família estiveram aqui por casa a ver e torcer (quase todos...) pelo meu FC Porto e pude, por isso, juntar à festa a oportunidade de rever alguns primos que por várias razões não via há muito tempo! Foi também uma bonita festa aqui!

DO jogo, nem há palavras para descrever o jogão que James Rodriguez fez - 3 golos, 2 assistências e muita gana - e mostrou que para o ano já temos 4 atacantes de topo (Falcao, Hulk, Varela e ele) o que significa que poderá sair algum deles (apesar dos repetidos recados de Pinto da Costa a dizer que não sai ninguém sem ser pela clausula de rescisão, mas sou realista e não me vou acreditando muito nisso...) ou AVB vai ter daquelas dores de cabela que qualquer treinador gosta. E ainda está aí a chegar Iturbe, um jogador que ao que sei e fui vendo é uma espécie de Messi...

A defesa, mais uma vez na ausência de Otamendi, asneou. Dois golos em lances de bola parada e ter a trave Maicon na área ou não ter, é igual - só serve para o ataque... Mas, pelo contrário, Beto esteve em grande e defendeu o penalti que poderia ter aproximado e dado alento ao Vitória no final da primeira parte e mesmo antes de, na sequência, o FC Porto ter colocado o marcador nos 5-2 - naquele que como definiu AVB, foi o momento chave do jogo.

A segunda parte foi, por isso, um passeio. Foi só contabilizar os minutos que faltavam até recebermos a taça das mãos de Cavaco Silva e de podermos abrir, finalmente, o bolo comemorativo da época de ouro que o FC Porto fez. E posso dizer que o bolo estava tão bom quanto a época... excelente!

Enviar um comentário