2011/09/15

Finalmente!

Segundo o i de hoje, Lisboa e Luanda assinam acordo para vistos de trabalho em Angola, conseguindo o ministro Paulo Portas em pouco mais de 80 dias aquilo que José Sócrates com a sua política de corridas na marginal de Luanda não conseguiu em 6 anos.

Ou seja, desde 2007 que há uma enorme pressão para melhorar o protocolo bi-lateral de concessão de vistos de permanência e trabalho entre Portugal e Angola. Mas durante esse período, apesar de visitas a Angola de Sócrates e muitos dos membros do seu Governo, não se conseguiu progresso nenhum - diria mais, conseguiu-se alguns retrocessos... E agora Paulo Portas anuncia que os vistos de trabalho passarão a ser de 3 anos. Só eu, e quem lá está ou esteve, sei como isso é importante.

Está, por isso, de parabéns o Governo que resolver o problema de mais de 100 mil portugueses que por lá ainda andam.

Menos positivo é o facto de ainda nada ter sido dito sobre os recentes e preocupantes acontecimentos em Angola. Há progressos do Presidente ao aceitar as manifestações, mas o condicionamento às mesmas e a forte repressão policial não são ainda a forma como gostaríamos, todos, de ver o problema a ser abordado pelas autoridades. Espero que o Presidente de Angola perceba que a repressão apenas serve para colocar mais pessoas com vontade de ir para a rua, no lado oposto. E isto é preocupante porque estando lá mais de 100 mil portugueses, se a situação se deteriorar pode obrigar ao abandono massivo do país e regresso a Portugal -o que causaria grandes transtornos também em Portugal, como é evidente. Aguardemos serenamente e esperemos que José Eduardo dos Santos tenho o bom senso de entender os desígnios das modernas democracias e perceber que tudo tem o seu tempo - e este é um tempo de mudanças, como se viu na "primavera árabe"....
Enviar um comentário