2004/07/10

E a opção é... estabilidade!

Pois é, contra toda a esquerda e até alguma imprensa que havia tomado, claramente, partido pelas eleições antecipadas, o Presidente da República ouviu a razão e não o coração, acabando por fazer a única coisa sensata que era convidar o PSD a formar novo governo e a concluir a legislatura iniciada em 2002, cumprindo e dando seguimento ao programa com que se apresentou perante o eleitorado, que em 2006 o poderá julgar pelos seus 4 anos de governo.

Felizmente, prevaleceu o bom senso. Assim, lá para o fim do mês, já deverá haver novo governo empossado e a trabalhar novamente para a consolidação do crescimento económico e para o progresso de Portugal. Por mais que isso custe a toda a esquerda, relembro que caso houvesse eleições antecipadas em Outubro, só em Novembro (daqui a mais de 4 meses...) é que haveria novo governo empossado, estando até lá o país paralisado por um governo de gestão!

E por falar em... CRISE! Então não é que afinal o PS é que está em crise? Perdeu o líder mas ganhou imensos potenciais candidatos! Felizmente não tenho voto na matéria quanto ao sucessor do ex-MES e dono do Gastão, mas gostava que fosse o João Soares... É que é incompetente quanto baste e gosto de ver o clã Soares a perder eleições, especialmente se perdesse outra vez contra o Santana como em Lisboa-2001...

Agora, enquanto o PSD continua a pensar Portugal, o PS vai continuar a sua luta fraticida Soares-Sócrates-Vitorino-Lamego, agora sem Ferro, que estava apenas suspensa pelo intervalo de duas semanas que o "camarada" Sampaio proporcionou ao "camarada" Ferro... Mas eles que são florzinhas (rosas...) que se entendam, nós temos um país adiado por seis anos para governar!
Enviar um comentário