2011/03/28

Pritzker para Souto Moura



Mais uma vez, a Fundação Hyatt resolveu agraciar um arquitecto com o seu prémio anual, que se diz equivaler ao Nobel. A honra coube, desta vez, a Eduardo Souto Moura, depois de em 1992 Siza Vieira ter sido o primeiro a alcançar este feito.

É, de facto, uma honra poder ver estes dois portugueses numa extensa lista junto de nomes como Niemeyer, Tadao Ando, Norman Foster, Aldo Rossi, Luis Barragan ou o primeiro de todos os galardoados em 1979, Philip Jonhson.



Segundo a revista Visão, o júri destaca o "trabalho que é do nosso tempo mas que também tem ecos da arquitetura tradicional", sendo que "durante as últimas três décadas, Eduardo Souto Moura produziu um corpo de trabalho que é do nosso tempo mas que também tem ecos da arquitetura tradicional. Os seus edifícios apresentam uma capacidade única de conciliar características opostas, como o poder e a modéstia, a coragem e a subtileza", realça ainda o comunicado sobre o Arquitecto nascido em 1958.

Da sua vasta obra, há a destacar a Casa das Histórias em Cascais, a Casa das Artes no Porto, a Estação de Metro da Trindade, o Centro de Arte Contemporânea de Bragança, o Hotel do Bom Sucesso em Óbidos, o Mercado da Cidade de Braga, a Marginal de Matosinhos-Sul, o Estádio AXA-Braga, o Crematório de Kortrijk (Bélgica), o Pavilhão de Portugal na 11ª Bienal de Arquitectura de Veneza (Itália) ou a Casa Llabia (Espanha), entre tantas outras obras.

Ao colega que eu tanto aprecio, os meus sinceros parabéns pela justa atribuição deste prémio.

Link para fotos da obra e texto para a imprensa do site do prémio.
Enviar um comentário