2011/06/18

Mudar Portugal: um Governo de Maioria para a Mudança

Um bom inicio deste Governo.



Primeiro, porque Passos Coelho foi indigitado na quarta-feira à hora do almoço e a meio da tarde de sexta, pouco mais de 48 horas depois, já tinha o Governo formado e estava a entregar o mesmo ao Presidente da República.

Em segundo, porque quase nada transpirou para a comunicação social, que falhou muitos dos nomes, quase não acertou nenhum. Exemplar a condução do processo.

Em terceiro lugar, porque seguiu os trâmites que é suposto seguir: concertação de um programa político entre os partidos, apresentação do programa ao Presidente, indigitação, convites para formação do Governo. Não queimou etapas e fez todas elas num tempo quase recorde. Tudo feito de forma responsável, digna, de estadista. Sem comentários e à partes, quer pelo PSD, quer pelo CDS.

Em quarto porque, finalmente, há um corte geracional e são novos nomes e sem experiência política - afinal de contas, quem tem experiência política de Governo ajudou a chegarmos ao ponto onde estamos. Eu gosto disso. A audácia e o arrojo de colocar pessoas como Álvaro Santos Pereira, Vítor Gaspar ou Assunção Cristas é de enorme capacidade de visão. Apostar em gente nova, com capacidade técnica elevada e comprovada.

Fica a composição do XIX Governo Constitucional liderado por Pedro Passos Coelho:
Finanças - Vítor Gaspar
Economia - Álvaro Santos Pereira
Negócios Estrangeiros - Paulo Portas
Justiça - Paula Teixeira da Cruz
Administração Interna - Miguel Macedo
Assuntos Parlamentares, Autarquias e Desporto - Miguel Relvas
Educação e Ensino Superior - Nuno Crato
Segurança Social - Pedro Mota Soares
Agricultura, Ambiente e Território - Assunção Cristas
Saúde - Paulo Macedo
Defesa - Aguiar-Branco

É uma equipa que acredito vir a ser muito coesa, muito boa tecnicamente, que se bem gerida politicamente poderá ser, de facto, a tábua de salvação deste país.
Estou muito optimista neste Governo, confesso. Aliás, nota-se... Mas pela primeira vez, serei mais velho que alguns ministros, sou de idade aproximada dos principais ministros. Desde o 25 de Abril, este é o primeiro Governo que cortou com os políticos dos anos 70 e 80, os mais antigos são, para além de Pedro Passos Coelho, Paulo Portas e Miguel Relvas - todos eles aparecidos nos anos 90 na política.
Enviar um comentário