2011/06/22

República versão 3.5


Com a eleição de Assunção Esteves hoje, terminou a primeira fase do upgrade da República versão 3.1, iniciada com a chamada da "troyka" e entremeada pelo novo Governo de ruptura geracional que Pedro Passos Coelho escolheu.

Esta versão 3.1 vinha já de longos tempos atrás, quando desapareceu os restos do PREC da Constituição.

Agora, para finalmente entrarmos na moderna versão 4.0, falta expurgar a elevada carga ideológica retrograda da Constituição, ao mesmo que tempo que se emagrece as suas gorduras para passarmos a termos uma Constituição indicativa e não restritiva. Simultaneamente, deverá ser re-organizado o país territorialmente, porque advém de uma organização que fazia sentido até meados do século passado, mas com o advento das vias de comunicação modernas, da internet e dos fluxos migratórios dos anos 60 em diante, já não faz nenhum sentido.

No dia em que tal acontecer, entraremos de facto na modernidade. Até lá, viveremos sempre subjogados numa anacrónica Constituição restritiva das necessidades do cidadão de 2011 porque continua presa a utopias de 1974.
Enviar um comentário