2004/06/23

A morte de Joaquim Santos Simões

Acabei de saber agora que faleceu um dos nomes grandes associados a Guimarães e que atravessaram todos os quadrantes da sociedade.

Foi político, professor, dirigente associativo. Foi um homem que viveu intensamente a sua longa vida, deixando fortes marcas pessoais por onde passou. Basta ver que tendo nascido em Coimbra, há muito que habitava em Guimarães que tinha adoptado como sua terra também.

Justissíma foi a atribuição do seu nome à nova Escola Secundária da Veiga que está a nascer agora, feita na passada quinta-feira em reunião do executivo municipal. Felizmente que o Dr. Santos Simões pode apreciar ainda em vida esse gesto que lhe era devido há muito tempo por esta terra que o acolheu e a quem ele tanto deu.

Se ninguém é insubestítuivel, uns há que fazem mais falta do que outros. Pelo imenso trabalho que desenvolveu nos últimos anos em Guimarães com a Sociedade Martins Sarmento, a que superiormente presidiu, tão cedo não haverá em Guimarães quem possa fazer um trabalho como esse. Tive a honra e o previlégio de, com o Forum Vimaranis, desenvolver há poucos meses atrás uma iniciativa que foi um enorme exito graças exactamente à sua pessoa. E aí pude constatar que para além de polémico, o que mais o animava era a vontade de progresso de Guimaraes, da cultura, das pessoas e da terra.

Pelo que soube, faleceu em paz, a dormir. Felizmente que assim foi. Pois Homens destes não morrem, simplesmente adormecem!
Enviar um comentário